sexta-feira, 26 de junho de 2015

Um Pouco Sobre Moda - Visual Kei [Iryou Kei]

Hoje chegamos ao último subgênero do Visual Kei, para mim um dos mais extremos, no entanto minha banda favorita de todos os tempos, e aquela que me apresentou para o Visual Kei era deste subgênero.


Apesar de ser o último subgênero não será o último post da Série. Após os subgêneros teremos a conclusão de toda a série. Além disso faremos um resumão sobre tudo o que já vimos até aqui.
"Mas este dia não é hoje!" Hoje falamos do:

Iryou Kei
            Este subgênero é representado por bandas que em seus visuais utilizam uma aparência mais extravagante, diria até que exacerbada. Suas músicas são extremamente melancólicas e sombrias, elas quase sempre tem um "quê" de solidão e corrompimento da alma. Não precisam ficar assustados, as letras em sua maioria tem conotações romanticas, só que de amores perdidos. As bandas usam MUITO a presença de coros em suas composições.

Banda Versailles
Alguns integrantes deste subgênero utilizam-se de roupas de hospital, gazes ou curativos nos olhos, ou como o exemplo da banda Malice Mizer que utiliza roupas medievais e maquiagem absurdamente elaborada.

Banda Malice Mizer
Eu creio que a melhor banda para exemplificar o subgênero, além das já citadas, é o Moi-dix-Mois.


video

segunda-feira, 1 de junho de 2015

Doramas & Live-actions - 14 sai no Haha (14才の母)

Então hoje teremos nosso primeiro post da seção Doramas/Live-actions. E vamos falar de um dorama que me surpreendeu pra caramba.


14-sai no Haha (14才の母/juuyon-sai no haha) foi exibido nas TVs japonesas em 2006 e teve bastante repercussão por trazer à tona um tema polêmico e considerado tabu na sociedade japonesa.


A história nos mostra a história da estudante de 14 anos, Ichinose Miki, que acaba engravidando de seu namorado de 17 anos (aproximadamente), Kirino Satoshi. Mesmo com uma gravidez precoce, e com o choque ao descobrir que está gravida, Miki desafia todos os preconceitos da sociedade, e ignora os conselhos de seus pais, da médica que acompanha o caso, e da mãe de Satoshi, para interromper a gravidez, decidindo que levará a gestação até o fim, e que ficará com seu bebê. Com sua decisão tomada, ela enfrenta muitas dificuldades, além de ter que lidar com o preconceito exercido pela sociedade, e com a mãe de Satoshi tentando afasta-los a todo custo, por conta da “diferença de classes” entre suas famílias.


O papel de Miki foi estrelado por Mirai Shida, que na época tinha 13 anos de idade e para se preparar para o papel, sem nunca ter estado grávida, Mirai aconselhou-se com sua própria mãe sobre as mudanças que ocorrem com o corpo da mulher durante a gestação, como caminhar, o apetite e outros.
Mirai Shida, apesar da idade, interpretou muito bem o papel, ela foi bem a fundo com a personagem, fazendo com que por várias vezes eu pensasse que Mirai realmente fosse a Miki.
O final foi bem fofo e emocionante, mas sabe, deixou aquele gostinho de quero mais. Eu não encontrei nenhuma informação ou indícios de uma segunda temporada, o que é uma pena.


Apesar de ser uma ficção, o dorama dá uma noção de como a sociedade japonesa vê, e trata uma adolescente grávida e os problemas que as mesmas enfrentam quando passam por essa situação. A coragem de Miki em levar adiante uma gravidez tão precoce definitivamente emociona, e a determinação dela em criar a criança, o esforço que ela faz para ficar ao lado do bebê e poder dar-lhe uma vida boa, são inspiradores. Muito mais mãe do que muita adulta por aí.


Inicialmente o dorama teria 10 capítulos, mas devido ao sucesso, houve um episódio extra, resultando em 11 capítulos. Para começar a assistir Dorama e Live-actions é uma boa opção, porque além de curtinho, é bem fácil de assistir.


Baixe aqui
Online aqui: Episódio 01



PS: A dica eu vi no blog Japão em Foco, clique aqui para ver a matéria deles sobre gravidez na adolescência no Japão.